Todos os posts de w3lassu

Jovens Caminhos forma mais 50 alunos moradores da periferia de Santo André.

Jovens Caminhos forma mais 50 alunos moradores da periferia de Santo André.

Uma porta que se abre para todas as possibilidades de escolhas. Assim podem ser definidos os cursos de Grafite e de Programação e Criação de Sites ofertados pelo Projeto Jovens Caminhos, que formou na tarde de 28 de junho mais 50 jovens moradores de bairros de Santo André e Mauá, no ABC paulista.

A cerimônia de entrega de certificados foi repleta de homenagens e de expressões de alegria por mais uma etapa vencida, “um impulso para o primeiro passo rumo ao novo”, segundo disse Ana Maria Domingues Luz, presidente do Instituto GEA, que promove o Projeto Jovens Caminhos em parceria com a Petrobras.

O projeto busca qualificar jovens nos campos da educação artística e da tecnologia para que encontrem oportunidades de encaminhamento profissional.

Excelência

O curso de Grafite formou as turmas 5 e 6, reunindo 25 alunos, e o de Programação certificou 34 alunos na turma 3. As aulas foram realizadas durante o 1º semestre de 2024 no Centro de Formação Pública João Amazonas, em Santo André. “Foi um orgulho ter um projeto de tanta excelência aqui conosco. As aulas foram tão qualificadas, que tive vontade de participar como aluna”, afirmou a diretora do Centro João Amazonas, Kely Cristina de Andrade Schiavone.

O Jovens Caminhos também recebeu elogios de Christhiaan Van Greco, de Responsabilidade Social e Riscos Sociais da Petrobras, e de Ignácio Aoki Júnior, fiscal do projeto. Eles agradeceram a parceria com o GEA e a oportunidade de mais jovens receberem orientações voltadas à cidadania e à busca de uma profissão.

Outro parceiro do Jovens Caminhos, o Lassu (Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), também esteve presente, por meio de sua coordenadora, Profa. Tereza Cristina Melo de Brito Carvalho.

Crédito Imagem: Roberlandes da Attimofotografia

“É entusiasmante ver cada fase concluída. É só uma abertura para o mundo e precisamos estar sempre aprendendo, porque o mundo não para de evoluir”, incentivou ela, convidando os formandos a fazer a especialização em Python do programa Paidéia da Poli-USP. Na turma de 2024 há sete alunos do Jovens Caminhos.

Também prestigiaram a cerimônia Letícia Verdinelli, Coordenadora, representando o Departamento de Educação de Jovens e Adultos de Santo André, o líder comunitário João Gonçalves de Souza e Valquíria La Vecchia, gerente do Centro Público da Secretaria de Desenvolvimento e Geração de Empregos. Valquíria chamou os jovens a buscar vagas de trabalho na Prefeitura, que em breve vai inaugurar um Parque Tecnológico na cidade.

Aprendizado cidadão

Os alunos foram representados pelos oradores Izabela Cristina Santos e Pietra Costa da Silva, pelo curso de Programação e Criação de Sites, e por Vinícius Nascimento, Gabrielle Ferreira Neves e Davi Wilson Rosa Faria, pelas turmas de Artes e Grafite. Emocionados e bastante aplaudidos, falaram dos laços que criaram com colegas, professores e monitores, e do aprendizado além das técnicas encontrado nas aulas de ética, cidadania e meio ambiente.

“Saio cheia de sonhos”, resumiu a formanda Gabrielle Neves. “Todos aqui têm potencial magnífico de transformação. Hoje nossa jornada está apenas começando e não podemos nos contentar com menos do que somos capazes”, incentivou Pietra Silva.

Crédito Imagem: Roberlandes da Attimofotografia

O impacto do Projeto Jovens Caminhos é acompanhado de perto pela diretora Ana Maria Luz. Ela destacou como as aulas, que enfatizam o ensino lúdico, despertam nos alunos vontade de estudar cada vez mais e buscar uma profissionalização. Exemplo é o contrato obtido pelos alunos de Grafite, Vinicius Nascimento e Júlia Venture Reis, junto a uma empresa, da qual pintaram um muro de 17 metros próximo ao Parque Regional de Santo André.

“É fundamental termos cursos como o do Jovens Caminhos, que nos ensina a fazer da arte uma profissão”, afirmou Vinícius.

Foram também homenageados os professores e monitores Akio Goya, Diego Fagundes, Gustavo Ramos, Maluh Barciotte e Rodrigo Smull.

Jovens Caminhos: 3ª Turma de Programação e Criação de Sites apresenta trabalhos finais

Jovens Caminhos: 3ª Turma de Programação e Criação de Sites apresenta trabalhos finais

No último dia 25 de junho foi realizada a apresentação dos trabalhos finais desenvolvidos ao longo do curso pelos
alunos da turma 3 do curso de Programação e Criação de Sites, curso que faz parte do Projeto Jovens Caminhos,
realizado pelo Instituto Gea, em parceria com a Petrobras. O encontro marcou o encerramento do curso, sob a
orientação da professora Alessandra Toyama, responsável pelo módulo de Lógica e Fundamentos da Linguagem de
Programação.

Crédito Imagem: Roberlandes da Attimofotografia

Divididos em grupos, os alunos tiveram a missão de integrar os conhecimentos de lógica de programação com conceitos de cidadania e sustentabilidade, o que os incentivou a pensar em soluções viáveis. Como resultado, os tópicos abordados refletiram a estreita conexão entre tecnologia e questões ambientais, incluindo:

Crédito Imagem: Roberlandes da Attimofotografia

Empresas e seus investimentos em sustentabilidade: Os alunos exploraram os diversos desafios como também a utilização da tecnologia para impulsionar iniciativas sustentáveis.

Biodiversidade: Os alunos destacaram como a tecnologia é crucial para monitorar e preservar a biodiversidade, ao mesmo tempo que expressaram preocupação com o futuro ambiental, sugerindo desafios significativos pela frente.

Negligência e erros médicos: Os estudantes mostraram como é feito o uso da tecnologia para diminuir erros e aumentar a segurança dos

pacientes, promovendo um sistema de saúde mais seguro e sustentável. Eles também destacaram estatísticas sobre como os erros médicos impactam significativamente nossa vida diária.

Aquecimento global, desmatamento e lixo eletrônico: Esses temas foram abordados com o objetivo de mostrar como soluções tecnológicas podem auxiliar no monitoramento, mitigação e destinação adequada desses desafios ambientais. Implementação de políticas de proteção ambiental, empregando técnicas de manejo de fogo de forma controlada e responsável e fortalecer as políticas públicas de proteção e recuperação ambiental.

Racismo ambiental: Os alunos trouxeram à tona a importância de utilizar a tecnologia para identificar e combater as desigualdades socioambientais que afetam comunidades vulneráveis. Essa apresentação final da turma 3 do Projeto Jovens Caminhos evidenciou o potencial transformador da tecnologia quando aplicada à promoção da sustentabilidade. Os jovens demonstraram como suas habilidades em programação e desenvolvimento de sites podem ser ferramentas poderosas para enfrentar os desafios ambientais e sociais da atualidade.

Crédito Imagem: Roberlandes da Attimofotografia

Curte programação? Conheça nosso curso de Programação e Criação de Sites, uma iniciativa do Instituto Gea em parceria com Petrobras. Acesse: https://jovenscaminhos.institutogea.org.br/informatica-e-criacao-de-sites/

Alunos da 3ª.Turma de Programação visitam espaços de sustentabilidade na USP

 

 

 

 

 

 

Crédito imagem: Marcelo Fiuza

Duas toneladas e meia de reciclados ou reusados.  É essa montanha de lixo eletrônico que o CEDIR – Centro de Descarte e Reúso de Resíduos de Informática, da Universidade de São Paulo, processa toda semana para reaproveitamento ou para dar destino final de maneira ambientalmente correta. 

O CEDIR e o LASSU -Laboratório de Sustentabilidade, os dois ligados à Escola Politécnica da USP, foram visitados em 4 de junho último pela Turma 3 de Programação e Criação de Sites do Projeto Jovens Caminhos, uma parceria entre Instituto GEA e Petrobras que qualifica jovens em Santo André, na Grande São Paulo. Essas instituições da USP também apoiam o Jovens Caminhos ao ceder notebooks recondicionados para utilização pelos alunos do projeto.

Bastante curiosos, os cerca de 40 estudantes conheceram como o Centro e o Laboratório trabalham com conceitos de sustentabilidade, dando destino correto a computadores, telas, processadores, disquetes antigos e projetores, entre outros equipamentos que chegam todos os dias descartados pela comunidade interna da USP ou pela população em geral.

“Só na USP, temos 56 mil computadores que, em quatro ou cinco anos, estarão aqui no CEDIR para reciclagem. Se fizermos descarte incorreto desse material, todo o ecossistema será prejudicado, pois são equipamentos que têm metais pesados e nocivos ao meio ambiente”, explicou o técnico André Rangel Souza.

Reúso, reciclagem e logística reversa

Os alunos do Jovens Caminhos aprenderam que os resíduos eletrônicos podem ser remanufaturados (reparando-se os equipamentos, às vezes utilizando peças retiradas de outros sem funcionamento) ou reciclados (encaminhamento dos equipamentos sem condições de reuso para empresas parceiras, que separam metal, alumínio e cobre, entre outros, para seu uso)

A maioria do lixo eletrônico é reciclável ou reutilizável. “Uma CPU de computador tem só 1% de borracha que não dá para reaproveitar”, explicou André Rangel, do CEDIR. Infelizmente, porém, o Brasil só recicla 3% de resíduo eletrônico, contra 23% na Europa, acrescentou ele.

A coordenadora do Laboratório de Sustentabilidade da Poli-USP, professora Tereza Cristina de Brito Carvalho, explicou que a sociedade moderna é levada ao consumismo desenfreado, uma forma de estimular a dinâmica da economia. Mas o lado ruim desse comportamento é a imensa quantidade de lixo jogado na natureza. “Pensem na moda e vejam quanta roupa descartamos a cada lançamento que a indústria promove”, lamentou ela.

 

 

 

 

 

Crédito imagem: Marcelo Fiuza

Paidéia e curso de Python

Prof. Tereza levou os alunos para conhecer também o museu de eletroeletrônicos mantido pelo LASSU e apresentou o curso de especialização em Python oferecido pelo programa Paidéia da Poli-USP. A especialização dura um ano (288 horas) com aulas 3 vezes por semana à noite, na modalidade on-line.

“O Python é uma das linguagens que têm mais posições no mercado. Já formamos sete turmas e temos muitos nomes bem colocados em empregos”, afirmou a Prof. Tereza Carvalho, citando que na turma de 2024 há sete jovens que cursaram o Jovens Caminhos.

“É um curso que transforma as pessoas, pois é um aprendizado para a vida. Mas tem que gostar da área, abraçar com amor, se não, não faz gol”, destacou. São cinco módulos que abordam, entre outros, a linguagem de programação, a interface com usuário e computador e, também, como preparar um bom currículo e como se comportar em uma entrevista de emprego.

Entre os professores do curso do LASSU, dois também atuam no Jovens Caminhos: Alessandra Toyama e Akio Goya.

Curte programação? Conheça nosso curso de Programação e Criação de Sites, uma iniciativa do Instituto Gea em parceria com Petrobras. Acesse: https://jovenscaminhos.institutogea.org.br/informatica-e-criacao-de-sites/

Professor Akio Goya indica jogos online para aprender CSS de uma maneira mais divertida

Se você tem interesse em CSS e quer aprimorar suas habilidades de maneira dinâmica e envolvente, temos uma sugestão empolgante! A partir da dica do professor Akio Goya, do curso de Programação e Criação de Sites oferecido pelo Projeto Jovens Caminhos — uma iniciativa do Instituto Gea em parceria com a Petrobras —, uma forma de aprendizado está ganhando destaque: a utilização de jogos online.

CSS (Cascading Style Sheets) é uma linguagem utilizada para definir estilos em uma página da Internet, como cores, formatos e disposição dos elementos. É essa linguagem que permite, por exemplo, definir as cores das letras, do fundo e dos links de um site. Professor Akio é especialista em Desenvolvimento Web e atua também no Laboratório de Sustentabilidade da Politécnica da Universidade de São Paulo. Ele traz aos alunos uma dica para o aprendizado de CSS através de jogos online. 

“Usamos diversas estratégias de aprendizagem no curso. Os jogos combinam motivações intrínsecas, que vêm do próprio interesse dos estudantes, e extrínsecas, que podem ser estimuladas através de recompensas como pontuações e progressões em jogos. Isso torna a memorização das propriedades CSS uma tarefa mais divertida e estimulante do que a repetição sem contexto, como ocorria nas antigas tabuadas de multiplicação”, explica ele sobre sua metodologia.

Link

Para quem está buscando um caminho mais dinâmico para memorizar os códigos CSS, professor Akio Goya recomenda o artigo “Learn CSS by Playing Games”, disponível no Medium, que apresenta uma série de jogos online projetados especificamente para ensinar CSS de maneira cativante e interativa. O artigo pode ser acessado através do link https://medium.com/geekculture/learn-css-by-playing-games-cf70a79a38

Esses jogos transformam o desafio de aprender CSS numa experiência mais agradável e engajadora, incentivando os estudantes a desenvolver suas habilidades de maneira mais eficaz e motivadora. Esta pode ser a chave para não apenas melhorar suas habilidades técnicas, mas também para manter a motivação em alta enquanto aprende. Mergulhe nessa experiência!

Santo André recebe quase 50 alunos no 3º curso gratuito de Programação do Jovens Caminhos, realizado pelo Instituto GEA em parceria com a Petrobras

 

Uma folha sulfite e materiais para desenhar e colorir um “site de papel”. Era necessário desenhar uma página web contendo nome, um talento pessoal e atividades preferidas de lazer. Depois, os alunos foram divididos em duplas: um dava comandos verbais e o outro executava as ações de desenho no “site de papel”.

 

Essa foi a primeira dinâmica para promover a integração entre alunos do novo curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Jovens Caminhos, que neste semestre vai atuar em Santo André, no Centro de Formação Pública João Amazonas. A terceira turma do projeto foi iniciada neste mês de abril, uma iniciativa do Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente em parceria com Petrobras. No ano passado foram formadas duas turmas em em Mauá, também na Grande São Paulo.

O professor responsável pelo módulo de Desenvolvimento Web, Akio Goya, acredita que essa dinâmica inicial possibilita uma imersão mais profunda no tema abordado, simulando relações de trabalho entre desenvolvedores e designers.

Expectativas

Já a aula da professora Alessandra Toyama, do módulo de Linguagem de Programação, organizou as boas-vindas em uma área externa arborizada do Centro João Amazonas. Cada participante teve oportunidade de se apresentar e compartilhar as expectativas em relação ao curso.

As duas classes foram também apresentadas aos colaboradores técnicos do Instituto Gea e monitores, que apresentaram o Jovens Caminhos com informações sobre o escopo do projeto, o cronograma de aulas e as atividades previstas. Entre essas atividades estarão visitas à Cidade Universitária da USP e a formatura como evento de encerramento do ciclo. O LASSU (Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) é parceiro do Projeto no curso de Programação e Criação de Sites, oferecendo seus professores e computadores aos melhores alunos formados.

As aulas de Programação e Criação de Site oferecem, além de conteúdo técnico e monitoria, formação ética com temas de responsabilidade social, cidadania e educação ambiental.

Fique atento a novas turmas no site https://jovenscaminhos.institutogea.org.br/

Mulheres marcam mais presença nos cursos de Programação realizados pelo Instituto GEA em parceria com a Petrobras

As mulheres estão liderando, em número, nos cursos gratuitos de Programação e Criação de Sites do Projeto Jovens Caminhos. Elas representaram cerca de 53% dos estudantes nas duas últimas turmas e alcançaram uma expressiva marca de 73% dos matriculados na primeira edição do curso.

“É uma grata surpresa ver o avanço das mulheres num mercado ainda masculino”, diz Ana Maria Domingues Luz, presidente do Instituto GEA, que oferece, por meio do Jovens Caminhos, cursos de Tecnologia e Arte, em parceria com a Petrobras.

Um exemplo é a aluna recém-formada pelo curso de Programação Isabelle Alves da Silva, 18 anos, que pretende seguir na área, em uma especialização oferecida pelo LASSU – Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica da USP. Isabelle se formou junto a outros 17 jovens, na 2ª turma, e logo em seguida se inscreveu no Programa Paideia, uma especialização em informática e desenvolvimento de software com ênfase na linguagem de programação Python.

Perseverança

“O curso do Jovens Caminhos me mostrou que tecnologia não é tão difícil, basta ter paciência e perseverança. Todos os alunos conseguiram ver a programação com outros olhos. Não tinha noção de nada sobre programação”, conta Isabelle, que após o Paideia da USP vai seguir com formação na área de Exatas, em um curso superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Além de aulas técnicas, o Jovens Caminhos oferece formação ética a jovens e adultos sobre responsabilidade social e respeito ao meio ambiente, lembra a presidente Ana Maria Luz. Na 1ª turma de Programação e Criação de Sites, 14 mulheres marcaram presença entre 19 formandos, na 2ª turma foram certificadas 9 entre 17 alunos e na 3ª turma, em andamento, são 22 alunas entre 42 matriculados.

Para saber mais sobre o curso, acesse https://jovenscaminhos.institutogea.org.br/

Projeto Jovens Caminhos impulsiona jovem a seguir carreira na área de programação.

Projeto Jovens Caminhos impulsiona jovem a seguir carreira na área de programação.

Ela nada entendia de programação. Depois do Projeto Jovens Caminhos, vai fazer um curso de Tecnologia da Informação na USP

Uma nova visão da tecnologia, para quem desconhecia até os principais comandos do teclado de um computador. Agora, Isabelle Alves da Silva só pensa em fazer carreira na área.

“Descobri que gosto de programação, e vou continuar. Isso foi incrível para mim”, diz a jovem de 18 anos, que concluiu o curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Jovens Caminhos e já se inscreveu no Programa Paideia, uma especialização em desenvolvimento de software, com ênfase na linguagem de programação Python. A conexão com o Programa Paideia surgiu devido à parceria do Laboratório de Sustentabilidade (LASSU) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) com o projeto, no curso de Programação de Criação de Sites, o que trouxe a disponibilização dessa oportunidade para seus participantes.

Moradora no Parque São Rafael, na Capital de São Paulo, Isabelle diz ter ficado surpresa com o curso gratuito de Programação do Projeto Jovens Caminhos, uma parceria entre Instituto GEA e Petrobras, realizado na cidade de Mauá, na Grande São Paulo, entre outubro de 2023 e fevereiro de 2024. Ela se formou em fevereiro de 2024, juntamente com outros 17 jovens.

Paciência e perseverança

“O curso me mostrou que tecnologia não é tão difícil, basta ter paciência e perseverança. Todos os alunos gostaram bastante e conseguiram ver a programação com outros olhos. Não tinha noção de nada sobre programação”, conta Isabelle, que quer seguir com formação na área de Exatas, em um curso superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

“Creio que é uma das melhores opções para quem está começando na área”, entende ela, que no Projeto Jovens Caminhos apreciou muito as aulas que envolviam a parte prática, como cálculos ou testar códigos.

Filha única e com 18 anos de idade, Isabelle Alves da Silva trabalha por enquanto com artesanato e papelaria, sua fonte de renda. A partir da especialização que fará no Paideia da USP, faz planos de ingressar no mercado de trabalho profissional e também saber mais sobre a linguagem Python. 

O curso de Programação e Criação de Sites faz parte do Projeto Jovens Caminhos, saiba mais no site www.jovenscaminhos.institutogea.org.br.

Projeto Jovens Caminhos: Oportunidade de aprender programação com professores do LASSU-USP

 

        

 

Projeto Jovens Caminhos: Oportunidade de aprender programação com professores do LASSU-USP

Parceria entre Instituto GEA e Petrobras oferece formação no Centro João Amazonas em Santo André

Ainda estão abertas as inscrições para o o curso de Programação e Criação de sites, do Projeto Jovens Caminhos, realizado pelo Instituto Gea, com apoio da Petrobras. Nesta formação, o curso conta com professores do LASSU – Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica da USP.

O curso acontecerá no Centro Público de Formação Profissional João Amazonas, com início em 2 de abril de 2024. As aulas, programadas para terças e quintas-feiras das 13h às 17h, prometem ser um mergulho no mundo da Tecnologia da Informação.

Além das competências técnicas, o curso engloba Oficinas de Cidadania, para incentivar a reflexão sobre a importância de valores éticos e socioambientais, preparando os estudantes para atuarem como agentes de mudança na sociedade.

Este curso é uma excelente porta de entrada para o mundo da tecnologia e uma prova do compromisso das instituições envolvidas com a educação de qualidade e acessível. Incentivamos todos os interessados a se inscreverem sem demora, para aproveitar essa oportunidade educacional transformadora.

Para mais informações:

Curso de Programação e Criação de Sites

Início: 02/04/2024

Quando: todas as terças e quintas-feiras

Horário: 13h às 17h

Duração: 3 Meses

Local: Centro Público de Formação Profissional João Amazonas, Santo André.

Inscrições através do site: www.jovenscaminhos.institutogea.org.br

Histórias do Projeto Jovens Caminhos: Helena Ferreira, vendedora autônoma

 

Com 62 anos, casada há 38 e com três filhos, Helena Ferreira não teve receio de enfrentar mais um de tantos desafios na sua vida: aprender a lidar com o moderno e complexo mundo digital. 

Formada no curso adicional de Inclusão Digital, da 1ª turma do curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Jovens Caminhos, em 2023, a vendedora autônoma Helena lida hoje com facilidade com algoritmos, comandos de teclados e aplicativos. “Antes do projeto, não entendia nada do mundo on-line. Hoje passo pix e pago contas até pelo celular”, conta ela orgulhosa. 

Helena fez o curso no CRAS Oratório, em Mauá, atraída pela propaganda do Jovens Caminhos e a divulgação da equipe do Instituto Gea.  

“É uma grande oportunidade que o projeto oferece para jovens e adultos. Tive a oportunidade de aprender informática e questões de meio ambiente, entre outros, e consigo me dedicar melhor ao trabalho de vendedora de doces, balas e cachorro quente. Com esse incentivo para nossa comunidade e o ensinamento de qualidade, podemos nos transformar em pessoas melhores e acreditar em nosso potencial”, testemunha ela. 

Mais confiante 

Helena Ferreira sempre trabalhou nas ruas como autônoma. A pandemia de Covid-19, que distanciou pessoas do contato físico e deixou como alternativa apenas os contatos virtuais, tornou sua profissão muito difícil porque não entendia nada de redes sociais ou apps de venda. “Mas, depois do Jovens Caminhos, fiquei mais confiante. Estou retomando meu trabalho autônomo com mais segurança”, diz. 

Realizado pelo Instituto Gea, com apoio da Petrobras, e tendo a parceria do LASSU – Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica da USP na formação em Programação e Criação de Sites, o Projeto Jovens Caminhos aumenta a autoestima dos participantes, na opinião de Helena Ferreira: “Percebemos que temos capacidade de vencer a cada dia. O mais importante é o certificado entregue em nossas mãos, que é essencial para facilitar a entrada no mercado de trabalho. Sinto gratidão a cada um pela dedicação, carinho e paciência, pois sempre tive pouco estudo”, afirma Helena. 

Fazer seu melhor 

Ela conta que, antes, seu desconhecimento em informática era grande, a ponto de não conseguir inscrever-se sozinha. “Eles enviaram o código no meu celular, mas eu sequer sabia como entrar no formulário. Quando cheguei em casa, minha filha me ajudou no cadastro para o curso”, lembra.  

Os cursos do Jovens Caminhos também são lembrados pelos ensinamentos sobre valores éticos e causas sociais. Helena faz parte de um trabalho voluntário, o que lhe exige ter empatia com o próximo, independente de raça, cor ou religião. “O projeto também nos incentiva a respeitar o estilo de vida de cada um. Se alguém tiver oportunidade de participar, eu super indico, para assim conseguir se tornar a melhor versão possível de si”, afirma.  

Conheça nossos professores: Alessandra Toyama, do curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Novos Caminhos, parceria entre o Instituto Gea e a Petrobras.

Conheça nossos professores: Alessandra Toyama, do curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Novos Caminhos, parceria entre o Instituto Gea e a Petrobras.

Alê em São Paulo ou apenas Lê onde nasceu em São Carlos, no interior paulista, é a mais nova entre três irmãos. Mãe de três filhos, “canceriana com ascendente em Áries e um pouco nerd”, como se define. Isso porque é pesquisadora na USP (Universidade de São Paulo) e se considera uma eterna estudante.

“Adoro livros, papelaria e sou muito apaixonada por fotografias, viagens e café da manhã. Sou entusiasta de meditação, yoga e arte. Essas combinações me acalmam e aquecem o meu cotidiano”, conta ela, que dá aulas no curso de Programação e Criação de Sites do Projeto Novos Caminhos, onde atua desde a primeira turma, em 2023. 

Prof. Alessandra tem igual entusiasmo pelo Novos Caminhos:

“O projeto vem com uma proposta importante, além da formação técnica. As palestras sobre Cidadania que intercalam as aulas e vivências em outros espaços, tais como a USP, proporcionam de forma conjunta uma amplitude do conhecimento, construção de redes de apoio, inspiração e transformação futura”, cita a docente. 

Já na jornada de aprendizado em programação, os estudantes são convidados a criar propostas ou projetos práticos que permitem explorar ações diárias simples em diversos algoritmos e que vão além do conhecimento aprendido em aula. 

“A cada aula ampliar o conteúdo abordado proporciona uma visão abrangente das diferentes linguagens e tecnologias, preparando-os para enfrentar os desafios do mercado de trabalho. Entender a importância da programação como uma habilidade essencial, capaz de abrir portas para oportunidades acadêmicas ou profissionais, representa muito neste momento em que vivemos tantas desigualdades sociais e econômicas”, afirma.

Pesquisa de IA

Prof. Alessandra graduou-se primeiramente em Bacharelado em Ciência de Computação pela USP-São Carlos e fez várias formações relacionadas à gestão de projetos, dados, tecnologia aplicada à educação e empreendedorismo social. Está também envolvida em pesquisa de Inteligência Artificial generativa para consulta e análise de normas técnicas e é desenvolvedora no programa de desenvolvimento da ONU. 

“Sou Fellow SGB e professora de Lógica e Programação no Programa Paideia desde 2019”, conta ela, citando o programa de formação oferecido pelo Laboratório de Sustentabilidade (LASSU) da Politécnica da USP. 

Ela também atua em programas voluntários na área de educação. O convite para se dedicar aos Jovens Caminhos veio pela professora Tereza Cristina Carvalho, coordenadora do LASSU da USP.

Além da formação cidadã proporcionada a centenas de jovens pela parceria entre o Instituto Gea e a Petrobras, forjar profissionais habilidosos para o mercado é um grande prazer para a prof. Alessandra Toyama. Ela cita duas experiências que a deixam satisfeita como mestra de futuros técnicos em programação:

  • Apresentar uma ferramenta colaborativa para reforçar conceitos e iniciar projetos de código aberto ou colaborativos, onde os alunos possam contribuir e desenvolver suas habilidades, expor dúvidas e construir uma comunidade para outros projetos. 
  • Apresentar dinâmicas com jogos e desafios para trabalhar conceitos de programação e estimular a criatividade dos estudantes mostra o quanto os estudantes são criativos e gostam de desafios.